SÍNDROME DO PENSAMENTO ACELERADO

Alguns sintomas comuns:

– Acordar cansado;

– Dificuldade para acalmar os pensamentos;

– Dificuldade para relaxar, desacelerar;

– Sofrer por antecipação;

– Apreensão;

– Déficit de atenção, dificuldade de concentração;

– Irritabilidade;

– Memória prejudicada;

– Sono alterado;

– Humor instável;

– Esgotamento/ cansaço mental e físico;

– Sensação de que 24 horas não são suficientes para tudo o que se propõe a fazer;

– Dores de cabeça ou muscular;

– Excesso de estímulo sonoro e visual.

Algumas causas:

– Ritmo alucinado dos grandes centros urbanos;

– Excesso de estimulação (uso de celular, redes sociais, rapidez de informação);

– Excesso de brinquedos;

– Excesso de atividades;

– Excesso de informação;

– Ansiedade devido à pressão escolar ou profissional.

 

Vivemos em uma sociedade de excessos. Nunca a mente das pessoas foi tão estressada e agitada. Na nossa sociedade tudo acontece em um ritmo rápido e ansioso. A modernidade alterou o ritmo de construção dos pensamentos e isso gerou sérias consequências para nossa saúde mental.

O excesso de informações que recebemos das mídias e no dia a dia está dificultando a absorção e interiorização das mesmas. E tudo isso interfere no gerenciamento dos pensamentos.

Devemos focar mais no presente. Atualmente ficamos demais no futuro. Na ansiedade estamos sempre temendo um futuro, sempre nos preocupando e pensando na frente.

Tendemos a ter muitos pensamentos distorcidos. Devemos aprender sobre essas distorções, aprender a identificá-las e substituí-las por pensamentos mais adaptativos baseados em evidências.

Precisamos trabalhar com registros de pensamentos e aprender que o fato mais importante, e que faz toda a diferença não é a situação pela qual estamos passando, mas sim em como vamos enxergar e pensar determinada situação. Isso faz toda a diferença!

Podemos tentar algumas atividades que certamente serão benéficas para essas situações, como: aprender a importância da respiração, um bom relaxamento muscular, ouvir músicas relaxantes, meditações, exercícios físicos, dormir mais, mudar de foco, atividades lentas e lúdicas, pintar, tocar instrumentos, ler livros, contemplar a natureza, momentos de lazer, estipular de horários para mexer em redes sociais e celular, buscar atividades calmas antes de dormir.

Vivemos em um tempo em que definitivamente precisamos ter momentos para desacelerar.

Baseado no texto da Psicóloga Aline Cataldi para o site http://www.psiconlinews.com
Imagem: pexels-photo-327345

Deixe uma resposta

WhatsApp chat