O REINO A QUE VOCÊ PERTENCE

Conta-se que certa ocasião, um imperador alemão realizou uma visita a uma das mais afastadas províncias dos seus domínios.   

 Passando por uma pequena escola, situada à beira da estrada, em uma zona rural, resolveu interromper a viagem e visitar os alunos.

 Professores e crianças o receberam com emoção, respeito e acatamento.

 No meio de tanto entusiasmo, houve quem improvisasse um discurso para saudar a ilustre personagem.

 O imperador ficou surpreso e feliz com a recepção. Percebendo que a classe era viva, inteligente e desinibida, sentiu-se muito à vontade entre os alunos.

 Depois de os ouvir cantar, declamar, discursar, ele resolveu se divertir um pouco com eles. Pediu a seu secretário que lhe trouxesse uma laranja e, mostrando-a aos meninos e meninas, perguntou:

 – Qual de vocês é capaz de me responder a que reino pertence esta fruta que tenho na mão?

 – Ao reino vegetal. Respondeu de imediato uma garota risonha, de olhos brilhantes e muito comunicativa.

 – Surpreendente! Disse o imperador. E continuou:

 – Já que você respondeu com tanta precisão, vou lhe fazer duas outras perguntas. Espero que você responda correta e imediatamente. Se me responder sem hesitar, eu lhe dou uma medalha como prêmio. Aceita o desafio?

 – Aceito, sim senhor. Falou prontamente a garota.

 Então, colocando a mão no bolso de sua farda, tirou uma moeda e a mostrou à menina, indagando:

 – E esta moeda, a que reino pertence?

 – Ao reino mineral. Disse ela.

 – E eu, a que reino pertenço? Questionou o imperador.

 Houve um rápido momento de silêncio. Os colegas se entreolharam. A garota apagou o sorriso alegre. Ficou séria e constrangida. Ficou preocupada em ofender o imperador, dizendo que ele pertencia ao reino animal.

 Mas, afinal, a resposta seria a correta. Contudo, pensava, poderia perder a medalha e até ser repreendida.

 Então, de repente uma resposta lhe veio à mente. Seus olhos voltaram a brilhar, um sorriso iluminou a sua face e ela respondeu, alto e claro:

 – O senhor pertence ao reino de Deus!

 A resposta da menina causou admiração entre os colegas, professora e toda a comitiva que acompanhava o imperador.

 Foi, no entanto, o próprio imperador que mais se sentiu tocado pela afirmativa da garota.

 Com voz embargada, entregou a medalha prometida e, emocionado, falou:

 – Espero que eu seja digno desse reino, minha filha!

 “Nunca perca a fé na humanidade, pois, ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo.” – Mahatma Gandhi

Reflexões para o site
http://www.meusonhonaotemfim.org.br

Deixe uma resposta

WhatsApp chat