MATURIDADE EU TE AMO

Mudei minha vida quando cansei dos velhos sapatos apertados, dos mesmos caminhos percorridos, com dedos encolhidos e bolhas no pé.

Nessa virada de chave entendi que me forcei a usar uma numeração menor porque não sabia fazer diferente. E acolhi tudo exatamente como foi.

Então descalcei. Me permiti sentir a grama na sola do pé. Foi quando decidi nunca mais forçar para caber.

Cuidei dos machucados, esperei as bolhas sararem, com paciência. Passei a caminhar de leve respeitando o passo diferente, até que pude andar firme novamente. Me senti segura, conectada, expandida, expansiva.

E nesse dia batizei essa permissão, em calçar o que me cabe, com o nome de maturidade.

 

Ana Luiza Costa - Psicóloga
@psianaluizacosta
WhatsApp chat